terça-feira, 3 de abril de 2012

Para quem o CAEM foi criado?

Para quem o CAEM foi criado?


O CAEM como qualquer outra entidade Umbandista, não foi criado em Rio das Ostras como muitos acreditam, esta entidade existe desde os meados de 1986 quando o querido Caboclo Pena Branca inspirou-me no sentido de iniciar meus trabalhos dando consultas com as entidades que já me impulsionavam a caridade. No ano de 2006 resolvi mudar-me para Rio das Ostras por motivos pessoais, todavia sempre que alguém precisava de algum conselho de alguma entidade, jamais me neguei a atender quem quer que delas necessitassem; o tempo passou e inúmeras pessoas se amontoavam em um pequeno quarto onde apertados mas organizadamente eram atendidos em suas necessidades. Pelas inúmeras enchentes, e pelas várias necessidades pelas inquestionáveis perdas que tivemos fui obrigado a deixar por um tempo a busca do conforto das obras que pretendera fazer na casa onde morava, para dedicar-me de corpo e alma aos necessitados que me procuravam todos os dias com isso perdi inúmeras oportunidades de trabalhos para ter uma vida sem tantas necessidades como a que tenho tido. Muitos destes acabaram abraçando a causa e com alguma ajuda financeira e braçal iniciamos as fundações do Centro de Apoio Espiritual e Mediúnico Caboclo Pena Branca e Pai Joaquim de Angola. O CAEM fora criado, não somente para aumentar o espaço para atendimento, mas para se constituir uma entidade Filantrópica para apoio espiritual e da mediunidade. Posso dizer com muita tristeza em meu coração que as pessoas que ajudaram a fundar esta Casa tão maravilhosa; não entenderam o verdadeiro significado da Umbanda, deixaram-se contaminar pela soberba, pelo descaso, e acima de tudo pelo respeito e o AMOR que em nenhum momento deixei de dividir com todos. Muitos envenenados pelo ciúme quiseram ser filhos preferenciais, quando em momento algum tratei quem quer que fosse de maneira diferenciada. E de alguma maneira, centense como portadores de uma sabedoria que não possuem ou que pelos seus pensamentos e ações jamais as terão. Pois que a verdadeira Umbanda que ensino esta embasada no amor, na paz e na caridade, de alguma forma me coloco como único culpado, por não ter avaliado o caráter pessoal de cada pessoa que quis ser feito Filho desta Casa. Tenho certeza que fui um cego pelo amor que quis infundir em cada coração na certeza de formar uma grande família. Não pelas curas que aconteceram, não pelos desejos realizados e as conquistas que tiveram . O CAEM foi criado para: Como um hospital, tratar das pessoas que realmente tem fé e precisam de cura para seus males. Não importa para mim o número de trabalhadores que querem se dedicar a esta finalidade, mas a qualidade de um ser humano que consegue abrir mão de seu egoísmo e dividir um pouco do seu amor para quem precisa. O CAEM não é um comércio para fins lucrativos, mas se o Zelador precisar mudar todo o atendimento para trabalhar e ter seu salário digno para sua subsistência eu o farei como qualquer outra pessoa. Ninguém é obrigado a ficar numa instituição que vai contra seus princípios, porem a única coisa que gostaria que todos lembrassem é que sou um ser humano que acreditou no (amor) que diziam ter por mim, mas as feridas se curam com o tempo e em breve estarei pronto para dar início aos meus trabalhos de caridade pôs foi esta a escolha que fiz em minha vida espiritual. Só gostaria de deixar bem claro a quem quer que seja, não serei mas o cego de antes oque estiver errado será acertado e quem não seguir os regulamentos da Umbanda voltará para a assistência, pois lá é o local certo dos que precisam de ajuda espiritual.

Rio das Ostras, 03 de abril de 2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário